Economize tempo e assuma o controle dos gastos

Mude para gestão de gastos empresariais mais inteligentes hoje mesmo

Links rápidos

Composição do endividamento: o que é e como calcular

André Apollaro

Data de publicação: 04/08/2023

Na gestão financeira de empresas, entender a composição do endividamento é de extrema importância. Esse conceito refere-se à análise da estrutura das dívidas, de modo a revelar as diferentes fontes de financiamento utilizadas para captar recursos

Conhecer a proporção de cada tipo de dívida é fundamental para uma tomada de decisão mais consistente, que possibilita o gerenciamento adequado das obrigações financeiras, a mitigação de riscos e o aproveitamento de oportunidades de investimento. 

Neste post, vamos explorar o universo das finanças, com foco nos segredos da composição do endividamento e na compreensão de sua relevância para a sustentabilidade econômica e o sucesso financeiro.

O que é a composição do endividamento?

A composição do endividamento é um indicador que possibilita compreender a estrutura das dívidas de uma empresa, identificando a proporção de diferentes fontes de financiamento utilizadas para captar recursos. 

Essa análise é importante para entender como a empresa está financiando suas operações e projetos, bem como avaliar a sua capacidade de honrar os compromissos assumidos.

A composição das dívidas inclui diferentes tipos de dívidas, tais como empréstimos bancários, debêntures, financiamentos, entre outros. 

Ao analisar a composição, é possível verificar a distribuição entre dívidas de curto prazo e longo prazo, juros praticados, garantias oferecidas e outras informações relevantes.

Essa análise é importante tanto para a empresa, no sentido de avaliar sua saúde financeira e sua capacidade de gerenciar suas dívidas, quanto para investidores e credores — que desejam conhecer o endividamento de uma empresa antes de fazer investimento ou conceder crédito.

Por que colocar a composição do endividamento em prática?

Vamos entender melhor por que é importante analisar essa composição. 

Ajuda na gestão de despesas 

A análise do endividamento é crucial para que uma empresa tenha uma visão clara das diferentes fontes de financiamento utilizadas. 

Com esse conhecimento, é possível planejar adequadamente o fluxo de caixa, distribuir os recursos de forma mais eficiente e controlar as despesas relacionadas aos pagamentos das dívidas.

Melhora a análise de riscos financeiros 

Compreender a estrutura das dívidas é essencial para avaliar os riscos financeiros envolvidos. 

Uma composição equilibrada do endividamento indica uma saúde financeira estável, enquanto uma concentração excessiva em dívidas de alto risco tende a aumentar a vulnerabilidade a crises econômicas e financeiras.

Facilita o gerenciamento de dívidas 

Ao conhecer a proporção entre dívidas de curto e longo prazo, taxas de juros e outras características das dívidas, é possível adotar estratégias mais adequadas para o gerenciamento das obrigações financeiras.

Isso inclui refinanciamentos, renegociações e o desenvolvimento de planos para quitação em prazos sustentáveis.

Indica possíveis oportunidades de investimento 

A composição das dívidas também revela oportunidades de investimento ou expansão de negócios. 

Uma estrutura equilibrada é importante para sinalizar solidez financeira e atrair investidores, enquanto uma situação de endividamento favorável abre portas para novos projetos com o uso responsável de recursos financeiros.

Em resumo, a composição das dívidas é uma prática essencial para a gestão financeira adequada, pois permite uma análise detalhada das dívidas, auxiliando no controle das despesas, na mitigação de riscos, no gerenciamento eficiente das dívidas e na identificação de oportunidades para o crescimento sustentável.

por que colocar a composição do endividamento em prática

Como calcular a composição do endividamento?

Para calcular a composição, utiliza-se uma fórmula simples e fácil de aplicar. É necessário obter informações sobre as diferentes fontes de financiamento e o montante total do endividamento.

A fórmula:

Composição do Endividamento (%) = (Valor da Fonte de Financiamento / Total do Endividamento) x 100

Passo a passo para calcular a composição do endividamento:

  • Identifique todas as fontes de financiamento utilizadas pela empresa;
  • Some o valor de todas as fontes de financiamento para obter o “Total do Endividamento”;
  • Escolha uma das fontes de financiamento específicas cuja composição você deseja calcular. Por exemplo, o valor dos empréstimos bancários;
  • Divida o “Valor da Fonte de Financiamento” pelo “Total do Endividamento”;
  • Multiplique o resultado por 100 para obter a porcentagem da composição relativa àquela fonte específica.

Conheça nosso cartão pré-pago e organize melhor os gastos e despesas em sua empresa!

Quais são os tipos de dívidas que compõem o endividamento?

tipos de dívidas que compõem o endividamento

Agora vamos entender os tipos de dívidas. 

Empréstimos Bancários 

Os empréstimos bancários são uma das formas mais comuns de endividamento, nos quais as empresas obtêm recursos financeiros junto a instituições financeiras, como bancos. 

Essa dívida geralmente envolve o pagamento de juros e prazo definido para a sua quitação. Os empréstimos bancários são úteis para diversas finalidades, como investimentos, capital de giro e expansão dos negócios.

Títulos de Dívida 

Os títulos de dívida são valores mobiliários emitidos pelas empresas para captar recursos no mercado financeiro. Entre os exemplos estão as debêntures e as notas promissórias. 

Ao adquirirem títulos de dívida, os investidores emprestam dinheiro à empresa emissora e, em troca, recebem juros e a devolução do valor investido ao término do prazo estipulado.

Financiamentos 

Os financiamentos são acordos de crédito em que um bem ou serviço específico é adquirido e pago ao longo do tempo, geralmente com juros. 

São comuns no financiamento de veículos, imóveis, equipamentos e projetos. As parcelas mensais amortizam a dívida e incluem o pagamento dos juros.

Fornecedores 

Dívidas com fornecedores referem-se a compras a prazo de insumos, mercadorias ou serviços realizadas pela empresa. Elas representam valores devidos aos fornecedores e fazem parte da rotina de negociações comerciais.

Leasing (Arrendamento Mercantil) 

O leasing é uma modalidade de financiamento que envolve o aluguel de um bem, com opção de compra ao final do contrato. 

Nesse caso, o arrendatário possui o bem durante o período de arrendamento, mas não o adquire imediatamente. O leasing é comumente utilizado para aquisição de equipamentos e veículos.

Para uma melhor gestão de suas despesas fundamentais, conheça nossa solução de reembolso corporativo!

Conclusão

Em conclusão, a composição do endividamento é uma análise essencial para empresas que desejam compreender a estrutura das suas dívidas

Conhecer os diferentes tipos de endividamento, como empréstimos bancários, títulos de dívida, financiamentos, fornecedores e leasing, é ideal para uma gestão financeira mais eficiente e informada. 

Através dessa análise, é viável tomar decisões estratégicas, gerenciar riscos, aproveitar oportunidades de investimento e garantir a sustentabilidade econômica ao longo do tempo.

Uma composição equilibrada do endividamento é fundamental para assegurar o crescimento sólido e o bom funcionamento das atividades econômicas, o que possibilita a conquista de resultados positivos e uma posição competitiva no mercado.

Publicações relacionadas

Produtos

Payfy é a solução de gastos para equipes com visão de futuro.

Aprenda

Conteúdos e guias gratuitos sobre gestão de gastos corporativos e como utilizar nossos softwares da melhor maneira.