Por que o “Cartão Combustível” vem sendo substituído por cartões pré-pagos pelas empresas?

mão segurando cartão combustível perto de uma bomba de abastecimento e logo payfy

Gerir o cartão combustível, a quilometragem e gastos com transporte é essencial. Saiba como sistemas de cartões pré-pagos chegaram para otimizar essa gestão 

Controlar o gasto dos colaboradores com traslado é um desafio que as empresas enfrentam – mesmo contando com um cartão combustível de valor pré-definido. Afinal, todos os colaboradores precisam se locomover de alguma forma para ir de casa para o trabalho e vice-versa. 

Na verdade, essa despesa aparece até mesmo ao fazer visitas a clientes, gerenciar projetos, e mais uma série de fatores que exige que a empresa tenha certas “regras” gerir esses gastos. Até porque, nem sempre os meios de transporte são os mesmos para todos os funcionários!

Pensando nisso, quanto o cartão combustível ainda faz sentido para a sua empresa ou o quanto vale pensar em outras alternativas? 

Algumas empresas já vêm encontrando novas soluções para a questão de forma que o controle com esses gastos passa a ser mais prático, automatizado e simplificado. Saiba como através deste artigo! 

Como funciona o cartão de combustível para empresas?

Antes de falarmos em novas alternativas para gestão desses gastos, vale primeiro compreender como funciona o cartão combustível tradicional. Eles, basicamente, servem como  cartões de crédito que funcionam apenas para postos de combustível autorizados e conveniados. 

Assim, a quantidade do “limite” para o cartão vai sendo diminuído conforme o colaborador o utilize. Prático, né? Basta calcular os valores do transporte mensal dos colaboradores que possuem esse benefício e definir a quantia máxima a partir daí. 

Com as altas nos preços dos combustíveis, entretanto, essa gestão pode se tornar ainda mais desafiadora. Uma vez que a administração desses gastos precisa ser ainda mais cuidadosa.  

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulga semanalmente o relatório do valor dos combustíveis no país. Dependendo da região do país, até mesmo entre cidades, o valor pode variar de R$6 para R$9, por exemplo. 

Ou seja, em momentos de grande variação de valores e certa visão de crise, o primeiro passo deveria ser olhar para formas de facilitar o benefício, de modo que as opções entre locais onde o colaborador pode abastecer aumentem, por exemplo. Buscando melhores preços e maior controle. 

Taxas de cartão abastecimento 

Um ponto importante para se saber a respeito dos cartões de abastecimento é que eles possuem taxas que são aplicadas nos postos, além, claro, do valor de adesão por parte da empresa que deseja o serviço. O que, por sua vez, acaba por diminuir as possibilidades de negociação em relação a valores. 

Essa tarifa pode variar entre 3% e 10% no preço do combustível dependendo de quanto o posto fatura por meio dessa modalidade de pagamento. Isso ocorre por conta dos mais variados tipos de taxações que os estabelecimentos são obrigados a cumprir.   

Conforme comentamos no tópico anterior, a atual crise faz com que os combustíveis estejam com o preço bastante variável. A consequência disso é que cada vez menos postos têm aceitado o método de pagamento através do cartão abastecimento. 

Preço mais variável, menor lucro   

O que ocorre é que parte do valor do combustível vai para o pagamento da taxa, sendo assim, uma boa porcentagem do valor já fica “retido” nisso. Além disso, a maioria das operadoras leva em torno de 30 a 40 dias para ressarcir os postos pelos valores gastos ali. 

Por um lado, ainda é vantajoso aceitar esse método de pagamento, uma vez que é uma certeza de que sempre haverá entrada de caixa e clientes — até certo ponto — fixos. 

Entretanto, na realidade o que vem ocorrendo é que com as altas variações de preço, os postos têm tido até 50% de prejuízo quando aceitam o cartão abastecimento. Isso torna-se uma cadeia sequencial de dificuldades em relação a essa forma de benefício, uma vez que:

  1. Com menor lucro, menos postos passam a aceitar esse tipo de cartão;
  2. Dos poucos postos que aceitam, a grande maioria acaba subindo o valor do combustível;
  3. O colaborador que detém desse benefício acaba tendo mais dificuldades para encontrar os locais credenciados para utilizar o cartão.  

Gastos extras e controle de custos

Mais um fator a se pensar quando for escolher um cartão de benefícios para os colaboradores é o quanto isso facilitará a vida de todos eles em relação a outros custos também.

Afinal, em meio a uma viagem é necessário pagar por alimentação, algum translado que não o próprio carro e, em alguns casos, hospedagem.

O que acontece na maioria das vezes é que para cada um desses tipos de gastos, existe uma forma diferente de controle. Até mesmo o controle de quilometragem, que nem sempre é possível de ser feito através do mesmo sistema do cartão combustível.

O melhor, nesse caso, seria buscar por uma solução que contempla todos esses pontos de forma mais ordenada e intuitiva. É aí que entra a Payfy no seu negócio! 

Cartão de crédito pré pago pode ser uma solução para seu negócio

A Payfy combina meios de pagamento com software financeiro inteligente para criar uma solução perfeita de gastos da empresa. Descentralizando todo o processo de gastos sem comprometer o controle rígido necessário.

Empresas que precisam gerenciar despesas corporativas como viagens, almoços, pagamento de softwares, táxi, reembolso de combustível, entre outros, a Payfy é uma solução que permite a criação de cartões de crédito com limites de gastos e tipos de usos. 

Através do cartão de crédito, a empresa pode definir um “valor” a ser colocado na carteira digital de cada colaborador – através do aplicativo. Conforme os colaboradores forem utilizando o cartão (que também pode ser virtual) o responsável pelo controle recebe instantaneamente uma notificação. 

Além disso, gera espaço para uma prestação de contas descomplicada a partir dos próprios colaboradores. Ao utilizar o cartão para algum fim para o qual ele seja permitido, o colaborador pode subir na hora algum comprovante da compra, junto de informações a serem definidas pela própria empresa.

Como ele funciona como um cartão de crédito mesmo, as taxas — como as presentes nos cartões combustível — não se aplicam. Facilitando o dia a dia do colaborador, da empresa e do time financeiro administrativo.

Até a próxima!


André Apollaro

Founder & CEO da Payfy

Fundo Cartões